Nossa História

História do SEMCRJ

O SEMCRJ (Sindicato dos Empregados no Mercado de Capitais do Rio de Janeiro) nasceu em dezembro de 1988. No mês de abril de 1989, quando foi assinada a primeira convenção coletiva, garantindo diversos benefícios a todos os trabalhadores, inclusive pisos salariais. Após muitos anos de luta, nosso sindicato conquistou benefícios, que com certeza trouxeram ganhos substanciais na qualidade de vida de todos os trabalhadores, tais como: piso salarial, cesta básica, auxílio creche, seguro de vida, garantia de emprego pós-parto, assistência médica, assistência jurídica, acesso a remédios mais baratos e com prazo para pagamento e assistência odontológica gratuita para toda família, estabilidade pré-aposentadoria e outras. Apesar da história, nossa jornada continua, e, para que ela seja forte e vitoriosa, precisamos que você acredite no seu sindicato e sindicalize-se.O jargão popular “povo unido jamais será vencido”, tem sua origem na palavra sindicato, que significa: “associação que visa à defesa dos interesses de seus membros”. Essa é a nossa parte, que estamos cumprindo bem, e temos a certeza que poderemos contar com você nesta jornada.

Reunidos no dia 15 de Dezembro de 1988, na sede da Federação Nacional dos Securitários, compareceram 180 trabalhadores no Mercado de Capitais, com a vontade e o desejo de fundação de seu próprio sindicato, tendo em vista que até o presente momento éramos representados pelo sindicato dos securitários, contando neste ato com todo apoio da Diretoria do sindicato dos securitários, através de seu presidente, JOSÉ ARAÚJO DE ALMEIDA.

Em seis meses de atividade, nossa entidade já contava com 3.500 associados.

No Início de 1990, assumiu a presidência do sindicato dos securitários, Julio Menandro de Carvalho, começava ai a página mais triste de nossa história, inconformado com a perda da contribuição sindical dos trabalhadores no Mercado de Capitais, foi desencadeado vários processos contra a existência de nossa entidade, contando com a morosidade da justiça e com nossos poucos recursos financeiros, nossa entidade aos poucos foi perdendo terreno nesta luta desigual, pois os securitários ainda contavam com o apoio de alguns patrões, que não queriam ter um sindicato combativo em seus calcanhares. Assim, aos poucos fomos perdendo nossos associados, chegando a ter somente 80.

Graças à ajuda de vários amigos como os Drs. Guaraci, Arthur, Manoel Martins, José Araújo, podemos continuar com a batalha jurídica, pois não tínhamos condições financeiras para bancar tamanha demanda. Todos apostaram em nossa vitória, que finalmente aconteceu em 1997, quando o sindicato dos securitários perdeu em todas as instâncias do judiciário brasileiro.

Contamos ainda com a ajuda de todos os operadores de pregão, pois dos 80 associados que nos restaram, 65 eram operadores.

Hoje já consolidados como entidade sindical, enfrentamos o fantasma do desemprego, pois da fundação do sindicato, contávamos com 20.000 (vinte mil) trabalhadores na base, hoje, 2001, contamos somente com 2.600 (dois mil e seiscentos) trabalhadores.

Em 1991, realizamos nossa primeira passeata, indo da BVRJ até a CVM, reivindicar melhores condições para os operadores e maiores agilidades no mercado de capitais.

“Não se deixe enganar por maus patrões, procure o seu sindicato sempre que se sentir lesado em seus direitos”.

Fortaleça sua categoria profissional sindicalizando-se; só assim, outras conquistas virão.

SINDICATO FORTE, CATEGORIA PROTEGIDA